domingo, 9 de outubro de 2011

Makemake - Um presente de Páscoa



Makemake, formalmente designado como (136472) Makemake, é o terceiro maior planeta anão do Sistema Solar e um dos dois maiores corpos do cinturão de Kuiper na população dos KBOs clássicos. Seu diâmetro é de cerca de três-quartos o de Plutão. Não possui satélites conhecidos, o que o torna único entre os corpos maiores do cinturão de Kuiper. Sua superfície é coberta por metano, etano, e possivelmente, nitrogênio, devido à sua baixíssima temperatura média de cerca de 30 K (-243,2 °C).
De início conhecido como 2005 FY9 e depois com o código de planeta menor 136472. Seu nome deriva da deusa rapanui Makemake. Em 11 de Julho de 2008, um grupo de trabalho sobre nomenclatura planetária da UAI anunciou a inclusão de Makemake na classe dos plutoides, fazendo ele oficialmente um planeta anão e um plutoide, ao lado de Plutão, Éris e Haumea.


Dados Básicos
  • Período orbital: 113.183 d (309,88 anos)
  • Velocidade orbital média:4,419 km/s
  • Inclinação: 28,96°
  • Diâmetro equatorial: 1.600 ± 300 km
  • Área da superfície: ~ 7.000.000 km²
  • Volume: ~ 1,8×109 km³
  • Massa: ~ 4×1021 kg
  • Densidade média:~2 g/cm³
  • Gravidade equatorial: ~0,05 g
  • Dia sideral: 7 h 46 m 16 s
  • Temperatura média: −243 ºC
  • Afélio: 53 UA
  • Periélio: 38,5 UA

Descoberta

Makemake foi descoberto em 31 de março de 2005 por um grupo liderado por Michael Brown no Observatório Palomar, e foi anunciado ao público em 29 de julho de 2005. A descoberta de Éris foi publicada no mesmo dia, dois dias depois da descoberta de Haumea.

 Apesar de seu brilho relativo (que é de cerca um quinto a mais do que o brilho de Plutão), Makemake foi descoberto bem depois de outros objetos do Cinturão de Kuiper com um brilho menor do que o dele. A maioria das buscas por planetas menores foram feitas relativamente perto da eclíptica (a região do céu em que o Sol, a Lua e os outros planetas parecem estar, vistos da Terra), devido à maior probabilidade de encontrar objetos lá. É provável que Makemake escapou da primeira pesquisa por causa de sua alta inclinação, e o fato de que ele estava na maior distância da eclíptica possível em sua descoberta, no norte da constelação de Coma Berenices.
Ao lado de Plutão, Makemake é o único outro planeta anão que é brilhante o suficiente para que Clyde Tombaugh pudesse ter descoberto durante sua busca por planetas transnetunianos em 1930. Na época de pesquisa de Tombaugh, Makemake estava a apenas poucos graus da eclíptica, perto da borda de Taurus e Auriga. Porém essa posição ficava muito perto da Via Láctea, e a detectação de Makemake ficaria quase impossível com o fundo cheio de estrelas. Tombaugh continou a procurar por objeto transnetunianos por alguns anos após a descoberta de Plutão, mas não conseguiu encontrar Makemake ou outros objetos.

Características Físicas

Makemake é o segundo objecto mais brilhante do cinturão de Kuiper, logo a seguir a Plutão, tendo uma magnitude aparente de 16,7. Isso é suficientemente brilhante para ser visto com um telescópio amador. O alto albedo de Makemake de quase 80% sugere uma temperatura de cerca de -243,2 °C. O tamanho de Makemake não é conhecido precisamente, embora a detecção em infavermelho do Telescópio Spitzer, combinados com as semelhanças de espectro com Plutão, sugerem um diâmetro de 1500 ± 200 km. Isso é um pouco maior que Haumea, fazendo Makemake o terceiro maior transneptuniano, perdendo apenas para Plutão e Éris. Actualmente Makemake é designado o quarto planeta anão no sistema solar. Isso praticamente garante que ele é suficientemente grande para alcançar o equilíbrio hidrostático e tornar-se um esferóide oblato.
A análise espectral da superfície de Makemake revelou que o metano deve estar presente na forma de grandes grãos, de pelo menos, um centímetro de tamanho cada. Além disso, grandes quantidades de etano e tolina podem estar presentes, muito provavelmente criados por fotólise de metano pela radiação solar. As tolinas provavelmente são responsáveis pela cor vermelha do espectro visível. Embora existam evidências da presença de nitrogênio na sua superfície, em nenhum lugar do planeta há o mesmo nível de nitrogénio que há em Plutão e em Tritão, que constitue 98% da crosta. A relativa falta de nitrogénio sugere que o fornecimento de nitrogénio acabou de algum modo durante a vida do sistema solar.
A presença de metano e possivelmente nitrogénio sugerem que Makemake pode ter uma atmosfera transitória, semelhante à de Plutão perto de seu periélio. O nitrogénio, se presente, será o principal componente dela. A existência de uma atmosfera também proporciona uma explicação natural para o esgotamento de nitrogénio: uma vez que a gravidade de Makemake é mais fraca do que a de Plutão, Éris e Tritão, uma granda quantidade de nitrogénio provavelmente foi perdida por causa do escape atmosférico; o metano é mais leve que o nitrogénio, mas tem uma pressão de vapor significativamente menor que as temperaturas registradas em Makemake (variam entre -243,2 °C a -238,2 °C), o que impede sua fuga, e o resultado deste processo é uma abundância de metano.

Satélites

Nenhum satélite foi descoberto orbitando Makemake ainda. Um satélite tendo um brilho de 1% do corpo principal teria sido detectado se estivesse a uma distância de 0,4 segundos de arco de Makemake. Isso contrasta com os outros grandes objetos transnetunianos, que possuem pelo menos um satélite: Éris tem um, Haumea tem dois e Plutão tem três. Acredita-se que cerca de 10% a 20% de todos os objetos transnetunianos têm satélites. Sendo que os satélites oferecem um simples método para medir a massa de um objeto, a falta de satélites em Makemake deixa difícil saber sua massa exata.

Nome e Mitologia

Makemake, anteriormente conhecido como 2005 FY9, é o primeiro planeta anão a receber um nome desde 2006, quando o seu vizinho gelado 2003 UB313 ganhou o nome de Éris, a deusa Grega da discórdia. 
O nome Makemake pertence ao deus que criou a Humanidade e o deus da fertilidade na cultura mitológica de Rapa Nui, da Ilha da Páscoa. O nome foi proposto por Mike Brown, Chad Trujillo e David Rainowitz, o time da Caltech que descobriu Makemake, em 31 de março de 2005, pouco antes das festividades da Páscoa. Makemake é o quarto planeta-anão no sistema Solar e o terceiro plutóide (o planeta-anão Ceres não é considerado um plutóide, pois está fora do cinturão de Kuiper). Makemake é hoje o segundo KBO (objeto do cinturão de Kuiper) mais brilhante no céu, após Plutão, com uma magnitude aparente calculada em +16,7. Makemake é atualmente visível na constelação de Coma Berenices, mas apenas telescópios amadores de alta-performance conseguem vê-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores

10 anos 10th IMAA ABC da Astronomia Adonai Lopes Alinhamento anã fria andrômeda Antimatéria Asteroides Astrobiologia Astrofísica Astronauta Astronáutica Astronomia Astronomia na Praça Bibliografias Big Bang bolha Brasil Buraco Negro C.E.C Calendários calourada Caravana da Ciência e Cidadania Carl Sagan Caronte CARONTE 2016 Caronte no 10th IMAA Cassini Cataclismos Centro Educacional Caminhar CERN céu cfc China chuva Cinturão de Kuiper Clube Caronte Cometa Cometas competição Constelações Corpos Extrasolares Cosmologia Curiosidades Curiosity descoberta Divulgação Eclipse Eclipse Lunar efeitos Efeméredes Einstein Elias Cloy Encontro Internacional de Astronomia e Astronáutica Eratóstenes ESA ESO espaço estrela Estrelas Eventos Exoplanetas Exploração Espacial Extensão Fenômenos Naturais Fim do Universo Física Moderna Foguete Foguetes foto Gagarin Gagarin O Primeiro no Espaço | Filme Completo galaxia Galáxias garrafa pet Gigantes Vermelhas Grandes astrônomos Gravidade Grécia Greenglow História Astronômica IAU IFF IFFluminense Campus Itaperuna IMAA Imagens da Semana Índia Início dos trabalhos ISS Itaperuna Júpiter Kepler laranjada Lixo Espacial Louis Cruls Lua Maikon Vieira Mark Zuckerberg Marte Matéria e Energia Escura membros do clube Mercúrio Meteorologia Meteoros Missão Marte mistériio Mitologia Mitologia Indígena MOBFOG MOFOG mundo Nasa NASA publica a maior foto mundo!! Nely Bastos Nicolau Copérnico Nobel Notícias Notícias de Astronomia O projeto misterioso OBA objerto Observação celeste oficina Ondas Gravitacionais ONU Origem da Vida Pesquisas Públicas Planeta anão Planetas planetas habitáveis Plutão Poluição Luminosa Popularização da Ciência Premiação I Competição de Foguetes Caronte Premiação OBA 2016 Prof. Adriano Ferrarez Pulsar Quasar Radiotelescópios Relatividade robô Rodrigo de O. França Ron Evans Rússia Salvar a Humanidade Samanta Meireles Satélites Satélites Artificiais Saturno Sávio Andrade SERÁ QUE O SER HUMANO PODERÁ MESMO VIVER NO ESPAÇO? Sistema Solar Sol Sonda Sondas SpaceX Stephen Hawking superlua Telescópio Hubble Telescópios Tempestade Solar Terça dia 22/03/2016 Terra Universo Vênus Very Large Telescope (VLT) Via Láctea Viagem Interestelar Vida Extraterrestre Vídeos