terça-feira, 18 de outubro de 2011

Cometas - Os Viajantes do Espaço

            Os cometas estão entre os mais atraentes corpos celestes e são conhecidos há muito tempo. Para muitos, o seu aparecimento era sinal de tragédias. Atualmente sabe-se que eles são resquícios da formação do Sistema Solar. Até hoje cerca de 2mil cometas foram vistos pelo homem. O mais famoso deles, o Halley, aparece em registros chineses datados de 246 a.C. Esses corpos tornam-se visíveis na Terra ao se aproximarem do Sol, quando ganham cabeleira e calda.

Cometa Halley, o mais famoso dentre os cometas que já "visitaram" a Terra.
           
Viajantes do espaço!

            Os cometas são resquícios da formação do Sistema Solar. Acredita-se que tenham sofrido o menor número de modificações desde aquela época e, por isso, são capazes de fornecer aos cientistas preciosas pistas sobre o surgimento da Terra e dos demais corpos celestes. Eles constituem-se apenas de um núcleo sólido e sua composição é uma mistura de gelo, gases e poeira cósmica.
            Ao se aproximar do Sol, o cometa ganha a cabeleira e a cauda características devido ao aquecimento do núcleo, que começa a evaporar-se e a dissipar-se pela ação dos ventos solares. Quanto mais próximo estiver do Sol, maior será sua cauda, que pode atingir milhões de quilômetros. Quando está longe do Sol, o núcleo resfria-se e sua matéria fica congelada. Nessa condição, os cometas são chamados de “icebergs sujos” ou “bolas de neve sujas”.

Origem dos Cometas

            Os cometas podem ser divididos em dois grupos: os de curto período – que levam até alguns milhares de anos para completarem uma volta em torno do Sol – e os de longo período – que podem permanecer durante milhões de anos em sua órbita.
            Em 1950, Jam Hendrik Oort levantou a hipótese de que os cometas de longo período seriam originados de uma imensa nuvem esférica – a chamada nuvem de Oort, que abriga trilhões de “detritos” na fronteira do Sistema Solar com o espaça exterior. Alguns desses corpos seriam atraídos para regiões internas do Sistema Solar, transformando-se em cometas de longo período.
Em 1951, Gerard Peter Kuiper sugeriu que cometas de curto período seriam provenientes de uma região próxima à órbita de Plutão, batizada com o nome de Cinturão de Kuiper.

Cometas famosos

            Os cometas são batizados com os nomes de seus  descobridores. Abaixo alguns dos mais conhecidos.
Cometa West
  • Halley: identificado em 1682 pelo astrônomo e matemático inglês Edmund Halley, o cometa é visível a cada 76 anos, quando fica próximo da Terra. A última vez em que isso ocorreu foi em 1986.  
  • Hale Bopp: foi avistado em 1995, pelos norte-americanos Alan Hale e Tom Bopp. Sua órbita em torno do Sol é de 4200 anos.
  • Biela: descoberto pelo austríaco Wilhelm von Biela, em 1826, reapareceu em 1846 e 1852. Desde 1866 não foi mais visto e supõem-se que tenha sido desintegrado por uma chuva de meteoritos.
  • West: um dos mais brilhantes e majestosos cometas observados pelo homem. Foi visto pela última vez pela metade do sec. XX. Ao se aproximar do Sol partiu-se em quatro fragmentos.
  • Encke: visto pela primeira vez pelo alemão Johann Franz Encke, tem órbita de 3,3 anos, a mais curta que se tem conhecimento.
  • Hyakutake: encontrado pela astrônomo japonês Yuki Hyakutake em 1996, tornou-se famoso por passar a uma distância de aproximandamente 15 milhões de quilômetros da Terra. 
Curiosidade: o primeiro registro do um cometa foi encontrado em documentos chineses de 2316 a.C. Naquela época esse tipo de objeto era associado à má sorte. Hoje, no entanto, é um dos que mais desperta a atenção dos astrônomos.
  
Fonte: Atlas do Universo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores

10 anos 10th IMAA ABC da Astronomia Adonai Lopes Alinhamento anã fria andrômeda Antimatéria Asteroides Astrobiologia Astrofísica Astronauta Astronáutica Astronomia Astronomia na Praça Bibliografias Big Bang bolha Brasil Buraco Negro C.E.C Calendários calourada Caravana da Ciência e Cidadania Carl Sagan Caronte CARONTE 2016 Caronte no 10th IMAA Cassini Cataclismos Centro Educacional Caminhar CERN céu cfc China chuva Cinturão de Kuiper Clube Caronte Cometa Cometas competição Constelações Corpos Extrasolares Cosmologia Curiosidades Curiosity descoberta Divulgação Eclipse Eclipse Lunar efeitos Efeméredes Einstein Elias Cloy Encontro Internacional de Astronomia e Astronáutica Eratóstenes ESA ESO espaço estrela Estrelas Eventos Exoplanetas Exploração Espacial Extensão Fenômenos Naturais Fim do Universo Física Moderna Foguete Foguetes foto Gagarin Gagarin O Primeiro no Espaço | Filme Completo galaxia Galáxias garrafa pet Gigantes Vermelhas Grandes astrônomos Gravidade Grécia Greenglow História Astronômica IAU IFF IFFluminense Campus Itaperuna IMAA Imagens da Semana Índia Início dos trabalhos ISS Itaperuna Júpiter Kepler laranjada Lixo Espacial Louis Cruls Lua Maikon Vieira Mark Zuckerberg Marte Matéria e Energia Escura membros do clube Mercúrio Meteorologia Meteoros Missão Marte mistériio Mitologia Mitologia Indígena MOBFOG MOFOG mundo Nasa NASA publica a maior foto mundo!! Nely Bastos Nicolau Copérnico Nobel Notícias Notícias de Astronomia O projeto misterioso OBA objerto Observação celeste oficina Ondas Gravitacionais ONU Origem da Vida Pesquisas Públicas Planeta anão Planetas planetas habitáveis Plutão Poluição Luminosa Popularização da Ciência Premiação I Competição de Foguetes Caronte Premiação OBA 2016 Prof. Adriano Ferrarez Pulsar Quasar Radiotelescópios Relatividade robô Rodrigo de O. França Ron Evans Rússia Salvar a Humanidade Samanta Meireles Satélites Satélites Artificiais Saturno Sávio Andrade SERÁ QUE O SER HUMANO PODERÁ MESMO VIVER NO ESPAÇO? Sistema Solar Sol Sonda Sondas SpaceX Stephen Hawking superlua Telescópio Hubble Telescópios Tempestade Solar Terça dia 22/03/2016 Terra Universo Vênus Very Large Telescope (VLT) Via Láctea Viagem Interestelar Vida Extraterrestre Vídeos