quinta-feira, 23 de junho de 2011

Ceres - um planeta anão graças a Júpiter


Ceres é um planeta anão que se encontra no cinturão de asteroides, entre Marte e Júpiter. Ceres tem um diâmetro de cerca de 950 km e é o corpo mais maciço dessa região do sistema solar, contendo cerca de um terço do total da massa do cinturão. E só não tornou-se um planeta graças a gravidade de Júpiter, que atua sobre a região de Ceres. Assim, por consequência, há o Cinturão de Asteroides no local.


Dados básicos:
  • Temperatura: média: entre -106°C e -34°C
  • Rotação: 9,975 h
  • Translação: 4,6 anos
  • Distância média para o Sol: 4,14 x 10¹¹ Km
  • Diâmetro: cerda de 950 Km
  • Área da superfície: 1.800.000 Km2
  • Massa: 9,5x10 20 Kg
  • Gravidade equatorial: 0,028g
Histórico:

Em 01 de Janeiro de 1801, o monge siciliano,fundador e diretor do Observatório Astronômico de Palermo, Giuseppe Piazzi (16/07/1746 - 22/07/1826), descobriu Ceres, o qual fora consisderado incialmente um planeta. Com a descobrta de mais objetos naquela região, ele passou a ser considerado um asteróide e a partir de agosto de 2006 ele passou a ser considerado um planeta do Sistema Solar, o quinto em distância do Sol.
Piazzi estava certo da descoberta de um novo planeta, mas no entanto ele  o anunciou como sendo um cometa. Mais observações não foram possíveis devido a uma conjunção solar. Mais tarde, com a ajuda do matemático Carl Friedrich Gauss, os cálculos levaram onde estaria o objeto Ceres  com a ajuda da lei de Titius-Bode.  Novamente localizado e com mais observações, ele foi classificado como um planeta. Nos anos que se seguinram, foram descobertos objetos semelhantes e com características similares. Esses objetos são: Palla em 1802, Juno em 1804 e Vesta em 1807. Até o final do Século XVII, centenas de objetos foram localizados nessa região e então resolveu-se classificá-lo como  asteróide. Com as novas descobertas no Século XXI, uma definição do conceito  "planeta" foi elaborada e,  acabou por considerar Ceres um planeta anão do Sistema Solar.

Órbita de Ceres
Geologia:

            Os cientistas há muito que teorizaram que Ceres seria uma massa indiferenciada e homogênea, semelhante a muitos corpos carbonáceos que povoam a Cintura de Asteroides, tendo 0,113 de albedo, muito semelhante ao da Lua, levando a se supor que a sua superfície deverá ser análoga à do nosso satélite natural. No entanto, Peter Thomas e os seus colaboradores mostraram que isto não era verdade. O grupo observou e gravou rotações inteiras de Ceres usando o Telescópio espacial Hubble entre Dezembro de 2003 e Janeiro de 2004. Ao examinarem as imagens, verificaram que Ceres era quase perfeitamente esferóide, com uma pequena protuberância de 30 km no equador, ao contrário da grande maioria dos asteroides, tornando-o único entre os asteroides. Anteriormente, pensava-se que a protuberância fosse de 40 km, através das melhores medições da massa de Ceres anteriormente realizadas. A diferença, segundo Thomas e seus colegas, deve-se a que Ceres não é homogêneo, mas estruturado em camadas, com um núcleo denso de rocha coberto por um manto de gelo de água, por sua vez coberto por uma crosta leve.

  
O manto de Ceres deverá ser de gelo de água, porque a densidade de Ceres é menor que a da crosta da Terra e porque marcas espectrais da superfície evidenciam minerais moldados pela água. Assim, estimou-se que Ceres deverá ser composto por 25 por cento de água, mais que toda a água doce na Terra. Esta água encontra-se enterrada sobre uma fina camada de poeira.
Caso não fossem as perturbações gravitacionais de Júpiter há milhares de milhões de anos, Ceres seria, indiscutivelmente, um verdadeiro planeta. Com uma massa de 9,45±0,04×1020 kg, Ceres tem mais do que um terço do total de 2,3×1021 kg de massa de todos os asteroides do sistema solar (que ainda é apenas cerca de 4% da massa da Lua).

Tamanho de Ceres em relação à Terra e Lua
  Mitologia:

Originalmente, o novo planeta foi chamado de Ceres Ferdinandea em honra à figura mitológica Ceres e ao Rei Fernando IV de Nápoles e da Sicília. A parte Ferdinandea não foi bem recebida pelas outras nações e foi removida.
Na mitologia romana, Ceres é equivalente à deusa grega, Deméter, filha de Saturno, amante e irmã de Júpiter, irmã de Juno, Vesta,Neptuno e Plutão. Ceres era a deusa das colheitas e do amor maternal. A veneração de Ceres ficou associada às classes plebeias, que dominavam o comércio de cereais.


2 comentários:

  1. e verdade que éris
    e um planeta anao

    ResponderExcluir
  2. Sim, Éris é também um planeta anão, aliás sua descoberta foi o ponto crucial para que a UAI considerasse Plutão um planeta anão. Veja mais sobre Éris aqui: http://caronteiff.blogspot.com/2011/10/eris-o-promovedor-da-discordia.html

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores

10 anos 10th IMAA ABC da Astronomia Adonai Lopes Água Alinhamento anã fria andrômeda Antimatéria Asteroid day Asteroides Astrobiologia Astrofísica Astronauta Astronáutica Astronomia Astronomia na Praça Atmosfera Bibliografias Big Bang bolha Brasil Buraco Negro C.E.C Calendários calourada Caravana da Ciência e Cidadania Carl Sagan Caronte CARONTE 2016 Caronte no 10th IMAA Cassini Cataclismos Centro Educacional Caminhar CERN céu cfc China chuva Ciência Cinturão de Kuiper Clube Caronte Cometa Cometas competição Constelações Corpos Extrasolares Cosmologia Curiosidades Curiosity descoberta Divulgação Eclipse Eclipse Lunar efeitos Efeméredes Einstein Elias Cloy Encontro Internacional de Astronomia e Astronáutica Eratóstenes ESA ESO espaço estrela Estrelas Eventos Exoplanetas Exploração Espacial Extensão Fenômenos Naturais Fim do Universo Física Moderna Foguete Foguetes foto Fundação São José Gagarin Gagarin O Primeiro no Espaço | Filme Completo galaxia Galáxias garrafa pet Gigantes Vermelhas Grandes astrônomos Gravidade Grécia Greenglow História Astronômica IAU IFF IFFluminense Campus Itaperuna IMAA Imagens da Semana Índia Início dos trabalhos ISS Itaperuna IV Semana da Fundação Júpiter Kepler laranjada Lixo Espacial Louis Cruls Lua Maikon Vieira Mark Zuckerberg Marte Matéria e Energia Escura Matheus Vieira membros do clube Mercúrio Meteorologia Meteoros Missão Marte mistériio Mitologia Mitologia Indígena MOBFOG MOFOG mundo Nasa NASA publica a maior foto mundo!! Nely Bastos Nicolau Copérnico Nobel Notícias Notícias de Astronomia O projeto misterioso OBA objerto Observação celeste oficina Ondas Gravitacionais ONU Origem da Vida Pesquisas Públicas Planeta anão Planetas planetas habitáveis Plutão Poluição Luminosa Popularização da Ciência Premiação I Competição de Foguetes Caronte Premiação OBA 2016 Prof. Adriano Ferrarez Pulsar Quasar Radiotelescópios Relatividade robô Rodrigo de O. França Ron Evans Rússia Salvar a Humanidade Samanta Meireles Satélites Satélites Artificiais Saturno Sávio Andrade SERÁ QUE O SER HUMANO PODERÁ MESMO VIVER NO ESPAÇO? Sistema Solar Sol Sonda Sondas SpaceX Stephen Hawking superlua Telescópio Hubble Telescópios Tempestade Solar Terça dia 22/03/2016 Terra Universo Vênus Very Large Telescope (VLT) Via Láctea Viagem Interestelar Vida Extraterrestre Vídeos